Japão e Chile assinam acordo de livre-comércio

Os governos do Chile e do Japão assinaram nesta terça-feira, 27, um acordo de livre-comércio pelo qual os chilenos poderão exportar quase todos os produtos ao país asiático sem tarifas.O chanceler chileno, Alejandro Foxley, e o ministro de Exterioresjaponês, Taro Aso, assinaram o documento, que facilitará o comércioentre os dois países e marca a estratégia do Chile de conseguir umarede de tratados comerciais bilaterais com as principais potênciaseconômicas da Ásia.Este acordo ainda deve ser ratificado pelos respectivos Parlamentos e assinado pelos chefes de governo do Japão e do Chile. Trata-se do segundo acordo de livre-comércio que o Japão assina com um país latino-americano, já que possui um tratado com o México em vigor desde 1º de abril de 2005.O acordo entre Japão e Chile terá uma aplicação gradual e afeta amaioria dos produtos, apesar de deixar de fora os artigos maissensíveis para o governo japonês, como o arroz, o trigo e o açúcar,cuja pequena produção local recebe subsídios.O Chile obterá de forma escalonada a eliminação de tarifas paraas carnes, salmão e outros produtos que ficarão excluídos dequalquer nova oferta ou proposta de negociação, enquanto o Japãopoderá exportar automóveis livres de tarifa ao mercado chileno.Da perspectiva japonesa, a maior conquista é a redução de tarifaspara seu produto de maior exportações para o Chile: os automóveis,cujo valor exportado chegou a US$ 300 milhões no ano passado.O Chile se beneficiará da redução de tarifas na exportação devinhos, produtos relacionados com a pesca, como o salmão e asfarinhas de pescado, e de bens industriais, que em sua maioria, terão tarifa zero.Segundo números do Banco Central do Chile, as exportações aoJapão em 2005 totalizaram US$ 4,536 bilhões, enquanto as importaçõesde produtos japoneses foram de US$ 941 milhões.O cobre responde por metade das importações japonesas, enquantoos automóveis representam 50% das exportações ao Chile.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.