bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Japão e Coréia do Sul mantêm inalteradas taxas de juros

O Banco do Japão (BoJ) manteve, por 8 votos a 1, inalterada, nesta quinta-feira, a taxa de juros do país, uma vez que os responsáveis pela política monetária sentiram que precisam de mais tempo para julgar o quanto a crise das hipotecas de alto risco americanas e a turbulência que se seguiu afetaram a economia japonesa. A principal taxa de juros da economia japonesa, a overnight call loan rate, manteve-se em 0,5%. A decisão ficou em linha com as expectativas do mercado.É a quarta vez que o board do BoJ vota dividido, o que sugere que uma alta na taxa não pode ser descartada no próximo encontro do banco, em 31 de outubro, quando os diretores divulgarão seu relatório semestral. Nesta reunião, o voto contrário à manutenção da taxa foi novamente de Atsushi Mizuno, considerado o mais rigoroso membro entre os nove diretores do board do BoJ. Mizuno propôs a elevação da taxa, como fez nos últimos três encontros.Coréia do SulO Banco da Coréia do Sul (BOK) também manteve, ontem, inalterada sua taxa de juros. A meta do overnight call rate ficou mantida em 5,00%, como amplamente esperado pelo mercado, uma vez que a inflação permanece sob controle e ainda não há certeza sobre o impacto da crise das hipotecas americanas na economia. Em um relatório, o BOK afirma que a economia sul-coreana está vivendo um sólido momento, com fortes exportações combinadas com elevação do consumo e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano pode ultrapassar a meta do banco, de 4,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.