Nicholas Kamm / AFP
Nicholas Kamm / AFP

Japão e Estados Unidos selam acordo comercial

Donaldo Trump anuncia acordo que deve ampliar as exportações de milho dos EUA para os japoneses

Dow Jones Newswires, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2019 | 20h50

BIARRITZ - O presidente americano, Donald Trump, disse que os Estados Unidos e o Japão chegaram a um acordo comercial que, “em princípio”, abriria caminho para mais exportações agrícolas norte-americanas para o Japão, ao mesmo tempo em que abandonaria a ameaça de aumento de tarifas norte-americanas sobre carros japoneses.

“Estamos trabalhando em um acordo com o Japão há muito tempo”, disse Trump após encontro com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, no G-7. Trump disse que, como parte do acordo, o Japão concordou em comprar uma parcela significativa do excedente de milho dos EUA.

As tarifas de automóveis dos EUA, que os japoneses queriam ver reduzidas, permanecerão onde estão, disse Trump. No entanto, o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, disse que outras tarifas dos EUA seriam retiradas. 

Abe disse que ainda há “algum esforço remanescente que precisa ser feito no nível de trabalho”, mas que os dois lados chegaram a um consenso sobre as questões centrais do comércio agrícola e industrial. O primeiro-ministro disse que o setor privado do Japão compraria milho dos EUA por causa de problemas com pesticidas. “O setor privado japonês ouve o setor público japonês”, brincou Trump. “É um pouco diferente.”

Trump retirou os EUA da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês) de 12 nações, que incluiu o Japão, em seu primeiro dia de trabalho na Casa Branca em 2017. Um TPP revisado entrou em vigor no ano passado sem os EUA, e agora os agricultores americanos estão reclamando que os países membros – incluindo Austrália, Canadá e Nova Zelândia – e a União Europeia têm maior acesso aos mercados japoneses de carne bovina, suína e laticínios, há muito protegidos.

Os agricultores americanos também estão sofrendo com a queda nas vendas para a China, que cortou as compras agrícolas dos EUA em retaliação às tarifas de Trump sobre mais de US $ 250 bilhões em importações chinesas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.