Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Japão estuda pacote de US$ 208 bi contra recessão

Ministro admite que será preciso rever a previsão de crescimento para 2009, que deve ser menor que zero

AE e AP

22 de março de 2009 | 10h06

O ministro das Finanças do Japão, Kaoru Yosano, disse neste domingo, 22, que o país pode precisar de uma política agressiva de gastos públicos, numa escala da aproximadamente 20 trilhões de ienes (cerca de US$ 208 bilhões), para sair da recessão. Yosano admitiu que o governo provavelmente terá de rever para baixo sua previsão de crescimento zero para o ano fiscal de 2009, que termina em 31 de março do ano que vem, devido à forte contração da economia nos últimos meses.

A economia japonesa tem sido duramente afetada pela queda contínua das exportações desde o agravamento da crise financeira nos Estados Unidos, em setembro do ano passado. O Fundo Monetário Internacional (FMI) previu que o Produto Interno Bruto (PIB) japonês vai cair 5,8% em 2009. Segundo dados oficiais, o PIB caiu a uma taxa anualizada de 12,1% no trimestre entre outubro e dezembro. Dados mostram que a retração continua neste ano. "A menos que tenhamos uma recuperação considerável no segundo semestre, será difícil manter a atual previsão para o PIB", disse Yosano.

O ministro ponderou que o montante dos gastos públicos ainda não está decidido e que os especialistas precisam de mais dados para decidir onde alocar o dinheiro. As medidas também precisarão ser discutidas no Parlamento. A taxa de desemprego do Japão manteve-se em 4,1% em janeiro, índice considerado relativamente alto para um país que registrou emprego estável por décadas. A preocupação é de que a taxa cresça diante dos problemas enfrentados pelas companhias do país.

Tudo o que sabemos sobre:
criserecessãoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.