Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Japão levanta possibilidade de comunicado do G7 sobre o dólar

O ministro das Finanças do Japão levantou nesta sexta-feira a perspectiva de um comunicado conjunto do G7 sobre moedas, para tentar conter a alta do iene depois do dólar atingir a mínima em 14 anos ante a moeda na véspera.

REUTERS

27 de novembro de 2009 | 07h50

Em um sinal de que o país está aumentando os alertas sobre a chance de uma intervenção, fontes do mercado disseram que o governo e o Banco do Japão estiveram checando a cotação dólar/iene com bancos comerciais nesta manhã.

O dólar caiu para a mínima de 84,82 ienes, à medida que investidores evitavam ativos de risco em meio a temores sobre os problemas de dívida de Dubai, mas depois reduzia as perdas com os comentários do ministro das Finanças japonês, Hirohisa Fujii.

"Eu responderia de forma flexível a um comunicado conjunto sobre moedas", disse ele a jornalistas.

Fujii também se disse flexível sobre a possibilidade de contatar autoridades cambiais dos Estados Unidos e da Europa, afirmando estar muito nervoso sobre os movimentos das moedas e que o Japão pode responder.

Ele preferiu não comentar sobre intervenção, dizendo não estar em posição de usar essa palavra devido ao compromisso feito com outros países do G7 sobre a flexibilidade das moedas.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROJAPAOCAMBIAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.