Japão pede a OMC que China reduza tarifas sobre filmes

O Japão pediu à China que baixe imediatamente as tarifas de importação de filmes e materiais fotográficos numa assembléia do comitê de acesso a mercado na Organização Mundial do Comércio (OMC). A informação foi publicada na edição da manhã de sexta-feira do jornal Nihon Keizai Shimbun, citando fontes do governo japonês. Tóquio alega que Pequim aumentou acentuadamente as tarifas de importação, apesar de ter garantido que não faria isso. Essa é a primeira queixa oficial do Japão contra Pequim sobre acesso a mercado desde que a China se juntou à OMC em dezembro último. Tóquio mencionou 35 itens diferentes, inclusive filmes coloridos, em sua queixa. Pequim comprometeu-se a colocar essas tarifas em 42% em janeiro deste ano, mas o país mudou os métodos de cálculo unilateralmente, com tarifas sobre alguns produtos atingindo 100%. O Japão pediu repetidamente à China que reduzisse as tarifas antes de fazer a reclamação ao comitê. Tóquio espera resolver a disputa amigavelmente, em consideração à relação bilateral e à curta história da China na OMC. Mas o Japão pretende encaminhar uma queixa formal contra a China à OMC se o país continuar se recusando a baixar as tarifas. A Eastman Kodak Co. dos EUA produz filmes fotográficos na China através de uma joint venture, por isso não é afetada pelas tarifas. Entretanto, a Fuji Photo Film Co, que exporta para a China, é diretamente atingida. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.