Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Japão quer acordo comercial com o Brasil

O Brasil corre o risco de perder para o México a posição de principal destino dos investimentos diretos japoneses fora da área financeira na América Latina. O alerta foi feito pelo coordenador do Departamento de Planejamento da agência japonesa de comércio exterior, a Jetro (Japan External Trade Organization), Tastuya Kato.Um acordo como o que o Japão tem com o México ou como o que terá com o Chile não seria possível no Brasil. Por ser parte do Mercosul, o País não pode negociar isoladamente. Além disso, o tema não é prioridade da diplomacia nem de um lado nem de outro, segundo avaliou o presidente do escritório da Jetro no Brasil, Yuji Watanabe.De fato, a prioridade brasileira é o acordo na Organização Mundial de Comércio (OMC) que eliminará subsídios dos países ricos à agricultura e um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Européia. A diplomacia japonesa costura um acordo com China e Coréia do Sul que simplesmente está absorvendo toda a mão-de-obra negociadora. Os japoneses, porém, insistem em um acordo porque não querem abrir mão do potencial de crescimento brasileiro. Enquanto o acordo com o México é uma porta para os Estados Unidos, um acordo com o Brasil poderia ser, no futuro, um atalho para entrar na União Européia, uma vez fechado o acordo com o Mercosul.

Agencia Estado

03 de setembro de 2007 | 06h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.