Japão quer energia, minério e alimentos da América Latina

O primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, disse hoje que quer transformar a América Latina em um fornecedor estável de recursos minerais e energéticos e de alimentação para o Japão. Em almoço com cerca de 200 convidados em São Paulo, ele pediu a autoridades e empresários que se empenhem em dar um novo impulso às relações entre o Japão e a América Latina.O premiê afirmou que o Japão está investindo US$ 4,6 bilhões em projetos de infra-estrutura na América Latina, também com o intuito de reforçar a integração regional. Koizumi confirmou que assina na sexta-feira um acordo de associação econômica com o México para o livre intercâmbio de produtos, pessoas, serviços e capitais.O premiê espera que esse acordo sirva de base para impulsionar as relações entre o Japão e outros países da América Latina. "É o primeiro acordo comercial que meu país assina com uma nação latino-americana. Espero que ele seja capaz de impulsionar mais programas conjuntos", afirmou.O premiê pediu maior apoio do Brasil nas questões internacionais, como cooperação para impulsionar as negociações da Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC). E se disse favorável à ampliação do Conselho de Segurança das Nações Unidas. "Quanto mais membros, mais credibilidade tem o órgão", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.