Japão registra a maior taxa de desemprego em 6 anos

A taxa de desemprego no Japão alcançou em maio o seu nível mais alto em quase seis anos, uma vez que a indústria de manufatura japonesa continuou a cortar postos de trabalho, apesar da melhora das condições econômicas para o setor corporativo. No mês passado, a taxa de desemprego no país aumentou para 5,2%, ante taxa de 5% no mês anterior, informou hoje o Ministério do Interior e das Comunicações. O resultado foi pior que a taxa de 5,1% esperada pelos economistas e marcou a maior elevação desde setembro de 2003.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

30 de junho de 2009 | 07h39

Apesar dos sinais positivos apresentados pelo setor corporativo japonês, incluindo o dado da produção industrial, que subiu pelo terceiro mês consecutivo em maio, a maior parte das companhias não está muito disposta a contratar trabalhadores por causa das expectativas de que a economia do Japão não vai se recuperar para os níveis anteriores à crise financeira no curto prazo.

Os números de hoje mostraram que o setor de manufatura cortou 880 mil vagas de emprego em maio, após uma redução de 630 mil vagas em abril e 420 mil em março.

A relação entre o número de vagas e o de pessoas procurando emprego caiu 0,02 ponto porcentual para uma baixa recorde de 0,44 ponto porcentual em maio. O valor significa que havia apenas 44 postos de trabalho para cada 100 pessoas que procuravam trabalho no mês passado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.