Japão têm exportações recorde no ano fiscal de 2007

As exportações do Japão alcançaram um recorde de alta no ano fiscal de 2007 encerrado em março, disse o governo nesta quarta-feira, destacando a forte confiança do país na demanda externa para manter seus seis anos de expansão.O superávit comercial de mercadorias ficou em 10,225 trilhões de ienes (US$ 99,2 bilhões) no ano fiscal 2007, alta de 13,4% ante o ano anterior, com as exportações crescendo 9,9%, para 85,118 trilhões de ienes (US$ 82,6 bilhões).Ainda que os números da balança comercial divulgados pelo Ministério das Finanças mostrem que as exportações cresceram, as vendas externas para as nações asiáticas, incluindo a China, claramente perderam a força. À medida que as incertezas sobre a economia global aumentam, a segunda maior economia do mundo poderá enfrentar obstáculos no caminho de seu crescimento.Refletindo uma desaceleração no crescimento, o superávit comercial com a Ásia, incluindo a China caiu 14,4% em março. Foi a primeira baixa em oito meses. As exportações para a Ásia avançaram 11,5% no ano fiscal, somado seis anos consecutivos de alta; mas, em março, a alta foi de apenas 1,9%, em comparação com março do ano fiscal anterior.O enfraquecimento da demanda na Ásia dá à equipe econômica de Tóquio um bom motivo para se preocupar. Até agora, as autoridades têm enfatizado que as exportações permanecem saudáveis no rastro da demanda robusta da Ásia e da zona da euro.O Ministério das Finanças também disse que o superávit comercial em março recuou 30,2%, em termos anualizados, para 1,119 trilhões de ienes (US$ 10,8 bilhões). As exportações subiram 2,3% no mês à medida que os embarques de semicondutores para a Ásia foram fracos.Em março, as exportações para os Estados Unidos também caíram pelo sétimo mês consecutivo - queda de 11%, em termos anualizados. Em todo o ano fiscal, as exportações para EUA recuaram 3,1% - o primeiro declínio em quatro anos, segundo o ministério. Os analistas estão cada vez mais pessimistas em relação às estimativas para a economia japonesa. Eles avaliam que a tendência de queda nas exportações poderia pesar no crescimento da produção industrial, puxando para baixo a economia. As informações são da Dow Jones

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.