Japão tem maior contração da economia no 1o tri desde 2a Guerra

O PIB do Japão apresentou no primeiro trimestre a maior contração desde a Segunda Guerra Mundial, mas economistas esperam que a frágil economia comece a se recuperar no atual trimestre.

HIDEYUKI SANO, REUTERS

11 de junho de 2009 | 16h55

Depois de ser atingida por uma forte queda nas exportações que motivou cortes de produção, a economia está tendo algum alívio à medida que empresas aumentam a produção e o pacote de estímulo do governo de 15 trilhões de ienes começa a fazer efeito.

Mas o crescimento não deve acelerar muito enquanto a demanda internacional não for forte o suficiente para motivar investimentos mais fortes.

A economia japonesa teve contração de 3,8 por cento no primeiro trimestre, ligeiramente inferior à leitura preliminar e à média das previsões do mercado de 4 por cento.

"A revisão foi técnica e não significa uma mudança no quadro geral. A economia passou de sua pior fase, mas é improvável que volte ao seu pico de antes da crise global", disse o economista sênior do Daiwa Institute of Research, Hiroshi Watanabe.

Os dados do PIB mostram que os investimentos no primeiro trimestre caíram 8,9 por cento, comparados com o dado de retração de 10,4 por cento na leitura preliminar e de uma mediana das estimativas de redução de 9,1 por cento.

O dado do PIB revisado implica em uma contração anualizada de 14,2 por cento, contra leitura anterior de contração de 15,2 por cento e de uma estimativa mediana de declínio de 15 por cento do PIB.

Durante o mesmo trimestre, a economia dos Estados Unidos anualizada encolheu 5,7 por cento e a da zona do euro teve retração de 2,5 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROJAPAOPIB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.