Japonesa Dentsu negocia compra da Fischer

Se fechada, compra será a segunda aquisição da multinacional da propaganda no Brasil, depois da LOV, em janeiro Empresa é dona da saga 'Guerra nas Estrelas'

LÍLIAN CUNHA, SAN FRANCISCO, LÍLIAN CUNHA, SAN FRANCISCO, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2012 | 02h05

A agência de publicidade japonesa Dentsu confirmou ontem que está negociando há aproximadamente um ano a compra da brasileira Fischer & Friends. No entanto, ainda não há previsão para o término das negociações, e não há certeza se o negócio será mesmo fechado.

A aquisição envolveria 100% do controle da empresa brasileira. A maior companhia de publicidade do Japão comprou, no fim de janeiro, a LOV Interactive Communications, agência digital paulistana que movimentou verbas publicitárias da ordem de R$ 15 milhões em 2011, de acordo com dados do Ibope Monitor. Na época, o valor do negócio não foi divulgado. Procurada, a Fischer disse que não comentaria especulações.

Também não há informações do valor a que poderia chegar a aquisição da Fischer. Conforme a mais recente lista das 50 maiores agências do País, publicada na semana passada, a Fischer & Friends estava em 24.º lugar, com investimento publicitário de anunciantes de R$ 606,9 milhões para o período de janeiro a setembro de 2012.

Entre os maiores clientes da agência, com sede em São Paulo, estão a cerveja Kaiser (Heineken Brasil), o Grupo JBS, com as marcas Friboi, Flora e Vigor, a Caixa Econômica Federal e rede varejista Ricardo Eletro.

Criada pelo publicitário Eduardo Fischer e seu então sócio Roberto Justus, em 1981, com o nome de Fischer & Justus Comunicações, a agência brasileira já mudou de nome sete vezes. A última foi em maio do ano passado, quando deixou de ser Fischer+Fala para se tornar Fischer & Friends.

A Dentsu foi fundada em 1901 e é considerada a maior agência do mundo. Tinha, até fevereiro, 15% de participação no francês Publicis, um dos três maiores grupos de agências e empresas de comunicação do mundo, junto com Omnicom e WPP. A empresa vendeu quase 13% dessa participação para fomentar sua expansão fora do Japão, como vêm fazendo outras empresa japonesas, como a Kirin, dona da Schincariol.

A Walt Disney Company comprou o controle da LucasFilm, empresa do cineasta George Lucas que é o criador e proprietário das séries Guerra nas Estrelas e Indiana Jones. O valor do negócio é de US$ 4,05 bilhões. A empresa tem planos imediatos de produzir uma nova sequência de Guerra nas Estrelas, o sétimo episódio, em 2015. Outros dois filmes deverão ser feitos na sequência.

A produtora Kathleen Kennedy, que já foi sócia da Amblin Entertainment com Steven Spielberg, será a presidente da Lucas Film sob a gestão da Disney. Ela se reportará diretamente ao chefe do estúdio, Alan Horn. Kennedy servirá como uma espécie de gerente da marca Star Wars e será também produtora executiva nos filmes que terão a marca da divisão.

O valor pago pelo estúdio é praticamente igual aos US$ 4 bilhões que a Disney desembolsou pela Marvel há três anos. Em 2006, depois de muita negociação, o estúdio comprou a Pixar, empresa que Steve Jobs ajudou a fundar e que hoje é responsável por seus maiores sucessos no setor de animação.

Saída. "Nos últimos 35 anos, uma das minhas maiores realizações foi ver o legado de Guerra nas Estrelas repassado de uma geração para a outra", disse George Lucas em um comunicado. "Agora é o momento de passar a série Guerra nas Estrelas para uma nova geração de cineastas. Eu sempre acreditei que a série poderia sobreviver além de mim, e que era importante garantir essa transição em minha vida."

O comunicado deixa claro que George Lucas, que dirigiu os seis episódios da saga, não participará mais da produção dos novos filmes. A compra da Lucas Film pela Disney também é um golpe pesado para outro estúdio de cinema, a Twentieth Century Fox. Apesar de não ser a dona das películas, a Fox foi responsável por seu lançamento desde que o primeiro filme da saga foi lançado, em 1977.

No entanto, já havia uma relação entre a Disney e a Lucas Film desde 1987, quando foi aberta a primeira atração relacionada à série na Disneylândia. Desde então, a atração foi estendida também aos parques de Orlando, Paris e Tóquio. George Lucas também licenciou a marca Indiana Jones para os parques da Disney. Outro braço da empresa, a rede de televisão ABC, está desenvolvendo uma série semanal baseada em Guerra nas Estrelas. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.