JBS é empresa brasileira mais internacional

O grupo JBS obtém 73,2% de sua receita em operações no exterior, de acordo com o ranking das transnacionais brasileiras de 2012, divulgado ontem pela Fundação Dom Cabral. A maior produtora de carnes do mundo é, segundo a entidade, a empresa brasileira com maior índice de presença no exterior. O JBS também tem 62,1% dos seus funcionários localizados fora do Brasil.

WLADIMIR DANDRADE, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2012 | 03h04

A segunda colocada nesse ranking, a siderúrgica Gerdau, também obtém mais da metade das suas receitas no exterior (52,4%). A companhia possui 57,3% dos seus ativos e 45,1% dos funcionários fora do Brasil.

Já a terceira colocada no ranking de internacionalização, a Stefanini IT Solutions, é a empresa analisada com maior porcentual de ativos fora do País (61,2%). A companhia também possui 36% das suas receitas originadas de operações fora do País e 41,9% dos funcionários trabalhando em suas unidades no exterior.

JBS, Gerdau e Stefanini IT Solutions, de acordo com a Dom Cabral, têm índices de internacionalização de 53,8%, 51,6%, e 46,4%, respectivamente. Em quarto lugar nesse ranking está a Metal Frio (45,2%), seguida pelo Marfrig (44,4%), Ibope (43,8%), Odebrecht (42,4%), Sabó (36,3%), Magnesita (36,1%) e Tigre (29,8%). Ao todo, 47 empresas brasileiras foram consultadas para elaboração do ranking.

A lista é elaborada com base em três pontos: o porcentual de receitas no exterior em relação às receitas totais da empresa, funcionários no exterior em relação a funcionários totais e ativos no exterior em relação a ativos totais.

Franquias. A Dom Cabral também fez um ranking de internacionalização de franquias brasileiras, em que as primeiras posições são ocupadas por Via Uno (18,3% de índice de internacionalização), Fábrica Di Chocolate (12,1%) e Showcolate (10,9%). Em seguida aparecem LinkWell (7,4%), Localiza (7,2%), Fisk Centro de Ensino (3,6%), Spoleto (3,2%), Bit Company (1,8%), Hering (1,4%) e Arezzo (1,4%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.