finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

JBS fecha compra de negócios de aves da Tyson Foods no Brasil e México por US$ 575 mi

Do total, US$ 400 milhões correspondem à operação no México e US$ 175 milhões ao negócio no Brasil

Beth Moreira, Agência Estado

28 de julho de 2014 | 08h07

A JBS, maior processadora de carnes do mundo, fechou um um acordo em conjunto com a Pilgrims Pride Corporation para adquirir as operações de aves da Tyson Foods no México e no Brasil por US$ 575 milhões, dos quais US$ 400 milhões correspondem à operação no México, e US$ 175 milhões corresponde ao valor das operações no Brasil. Ambas as transações serão pagas em dinheiro e estão sujeitas às aprovações das autoridades regulatórias competentes.
Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários, as empresas detalham que a operação no México será adquirida pela PPC, cujo acionista majoritário é a JBS USA Holdings, Inc., subsidiária integral da JBS S.A., enquanto que a operação no Brasil será adquirida pela JBS Foods, subsidiária integral da JBS S.A.
Conforme as empresas, a operação mexicana, que leva o nome Tyson de México, é verticalmente integrada e tem sede há mais de 20 anos em Gomez Palacio, região Norte do país. A Tyson de México conta com três unidades de processamento e emprega mais de 5.400 colaboradores, distribuídos nas unidades de processamento, escritório e em sete centros de distribuição. A Pilgrims Pride antecipa que a operação gerará uma receita incremental anual de aproximadamente US$ 650 milhões.
A aquisição no Brasil envolve três unidades de processamento completamente integradas, sendo duas em Santa Catarina e uma no Paraná. A Tyson do Brasil, fundada em 2008, emprega 5.000 colaboradores. "A administração da companhia espera que a operação gere receitas anuais de cerca de US$ 350,0 milhões no Brasil para a JBS Foods", informa.
Ao concluir a transação, a JBS e PPC esperam manter as operações funcionando com a capacidade necessária para conservar a mão de obra empregada, preservando os contratos trabalhistas em ambos os países. 
Tudo o que sabemos sobre:
JBSfrigoríficoTysson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.