JBS fez oferta pela americana Sara Lee, diz ''WSJ''

Grupo americano tem valor de mercado de cerca de US$ 10,5 bi, e operação necessitaria de um grande volume de financiamentos

DOW JONES NEWSWIRES, O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2010 | 00h00

O grupo brasileiro JBS Friboi, maior processador mundial de carne bovina, fez oferta de compra pela companhia americana do setor de alimentos Sara Lee, de acordo com o "Wall Street Journal", que cita uma fonte familiarizada com o assunto. A fonte, contudo, não revelou qual seria o valor da proposta.

A Sara Lee busca novos rumos e tem avaliado até a possibilidade de venda total de seus ativos, especialmente depois que a executiva chefe Brenda Barnes deixou o cargo neste ano. De acordo com a fonte, há meses o JBS procurou a Sara Lee.

Nas últimas semanas, a companhia passou a avaliar a oferta da JBS com mais seriedade. A empresa americana, proprietária de marcas importantes nos Estados Unidos, como as salsichas Jimmy Dean e as carnes Hillshire Farm, tem uma capitalização de mercado de cerca de US$ 10,5 bilhões.

O que pode dificultar um eventual acordo de compra é a grande necessidade de financiamento para a operação, já que o JBS tem capitalização de mercado quase igual à da Sara Lee, segundo a fonte. Nenhuma decisão sobre o tema foi tomada até o momento, e a Sara Lee pode, inclusive, se decidir contra a venda ao JBS.

A venda completa da companhia é apenas uma das opções que a Sara Lee passou a avaliar quando Brenda Barnes deixou o cargo de executiva chefe, em agosto, por motivos de saúde. Desde então, a empresa procura um sucessor, mas antes precisa tomar uma decisão estratégica. De acordo com a fonte, é essa decisão que vem atrasando o processo de busca de um novo presidente.

A Sara Lee também avalia a hipótese de cindir suas operações com carnes e bebidas e colocá-las à venda, conforme afirmou a fonte ligada à empresa. O negócio com carnes poderia despertar o interesse de outras concorrentes, como a Smithfield Foods. Representantes do JBS não foram encontrado pelo jornal para comentar o caso.

No Brasil, a Sara Lee é a maior empresa do setor de cafés. É proprietária de marcas como Café Pilão, Café Caboclo, Café do Ponto e Seleto, entre outras. No final do mês passado, a empresa americana anunciou a compra da paranaense Café Damasco, em um negócio estimado em R$ 100 milhões, que serviu para consolidar sua liderança no setor.

Expansão. Se realmente fechar a compra da Sara Lee, será mais uma aquisição de grande porte do JBS nos Estados Unidos. A empresa entrou no mercado americano em maio de 2007, com a aquisição do grupo Swift, em um acordo de US$ 1,4 bilhão, sendo pelo menos US$ 1 bilhão em assunção de dívidas.

Em 2008, anunciou a compra dos frigoríficos Smithfield Beef Group, por US$ 565 milhões, e National Beef Packing Company, por US$ 560 milhões. Posteriormente, o grupo teve de desistir do National Beef, por pressão dos produtores locais, que temiam a concentração de mercado.

No ano passado, porém, o grupo voltou à carga com a compra da Pilgrim"s Pride, a segunda maior produtora de frangos dos EUA, em um acordo de mais de US$ 2 bilhões.

Em todos esses negócios, o JBS contou com forte apoio financeiro do BNDES, que já investiu cerca de R$ 8 bilhões no grupo - apoio que já gerou muitas reclamações por parte principalmente dos rivais do grupo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.