Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

JBS Friboi volta ao lucro e já fala em novas aquisições

Presidente da líder mundial em carne bovina diz que grupo está ?virando a página da crise?

Tatiana Freitas, O Estadao de S.Paulo

14 de agosto de 2009 | 00h00

O presidente do grupo JBS Friboi, Joesley Batista, afirmou ontem que a companhia, líder mundial em carne bovina, está "virando a página da crise" e começa a se preparar para retornar ao seu processo de expansão, que pode incluir tanto crescimento orgânico como aquisições. A unidade da empresa nos Estados Unidos espera captar US$ 2 bilhões com uma oferta pública inicial (IPO) de ações, já protocolada no órgão regulador daquele país, a SEC.Com esses recursos, o Friboi pretende ampliar a sua plataforma global de distribuição, mas a possibilidade de compras para elevar a capacidade de produção não está descartada. "O que falamos nos últimos trimestres sobre compasso de espera em razão da crise e o processo de desalavancagem da companhia passou. Estamos voltando ao curso normal da empresa. Voltamos a olhar as oportunidades de expansão", disse Batista.Questionado sobre o financiamento desse processo de crescimento, além dos recursos que virão da abertura de capital nos Estados Unidos, o executivo afirmou que cada negócio requer uma estrutura de capital específica, sem fornecer mais detalhes. Ele ressaltou, no entanto, que o que se tem definido até o momento é o empenho da empresa em reforçar a sua capacidade de distribuição, como parte da estratégia de se aproximar cada vez mais do consumidor final.O otimismo de Batista se baseia também nos números do balanço da empresa. No segundo trimestre, o Friboi teve um lucro líquido de R$ 172,7 milhões, revertendo um prejuízo de R$ 364,6 milhões registrado em igual período do ano passado. A receita líquida no período somou R$ 9,255 bilhões, com aumento de 29,82%. A geração de caixa (Ebitda) cresceu 30,19%, chegando a R$ 384 milhões. O lucro de R$ 172,7 milhões no período refletiu principalmente a redução do resultado financeiro líquido negativo, que no primeiro trimestre somava R$ 446,6 milhões e caiu para R$ 33,6 milhões no segundo. O grupo também aumentou em 14,9% o abate de bovinos no segundo trimestre em relação ao primeiro. No total, o grupo abateu 893,5 milhões de cabeças no segundo trimestre. Em relação ao segundo trimestre de 2008, o número de cabeças abatidas cresceu 3,7%. A companhia aproveitou a saída de importantes frigoríficos do mercado para aumentar a sua participação no total de bois abatidos no Brasil.O grupo se prepara também para aumentar sua capacidade de abate no País. Segundo Batista, o abate nas cinco unidades do frigorífico Quatro Marcos arrendadas recentemente pela companhia deve ter início até meados de setembro. "Creio que a atividade nas cinco novas unidades terá início até o dia 15 de setembro. Devemos entrar o segundo trimestre de 2010 com essas plantas em plena capacidade", disse. O arrendamento de duas das cinco unidades havia sido proibida pela Justiça, mas, segundo o executivo, a questão "está sendo resolvida".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.