DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

J&F dá Eldorado como garantia para manter irmãos Batista no comando do grupo

De acordo com Ministério Público Federal, J&F está em negociação com Funcef e Petros para comprar participação dos fundos na empresa

Josette Goulart, O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2016 | 18h22

A J&F Investimentos entregou em penhor 30% da participação que possui na Eldorado Celulose para manter os irmãos Batista no comando das empresas do grupo, entre elas a JBS Friboi. As ações vão servir em garantia para o acordo de R$ 1,5 bilhão que fez com o Ministério Público Federal, no dia 13 de setembro, para garantir eventuais perdas que forem apuradas para os fundos de pensão Petros e Funcef que são sócios da Eldorado. Wesley e Joesley Batista haviam sido afastados de suas funções sob suspeita de negócios irregulares com os fundos de pensão.  

Segundo nota emitida há pouco pelo Ministério Público Federal, além da penhora das ações da Eldorado foi feito um aditamento ao acordo em que prevê o prazo de 31 de março de 2017 para a J&F comprar a participação dos fundos de pensão. A informação dada ao MPF é que caso não compre a participação dos fundos até março, volta a valer a obrigação de depósito de uma fiança para garantir o valor total do acordo.

De acordo com relatório do Ministério Público Federal que embasou a Greenfield, os fundos de pensão Petros e Funcef teriam investido R$ 550 milhões na empresa mediante laudos superavaliados que, dessa forma, causaram prejuízos às fundações dos funcionários da Petrobrás e da Caixa. O atual presidente da Eldorado, José Grubisich, também fez parte do acordo assinado com o MPF. O executivo não foi impedido de exercer a função na empresa, mas teve seus bens bloqueados. Além de presidente, Grubisich é sócio da Eldorado por meio fundo Olímpia, que detém pouco menos de 2% das ações da empresa.

Pelos termos firmados com o Ministério Público, Joesley, Wesley e Grubisich terão ainda de ficar à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.