Joaquim Levy defende novas alternativas para financiar infraestrutura no Brasil

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse a jornalistas neste sábado, 18, que a reação de investidores de infraestrutura com os quais se encontrou esta semana nos Estados Unidos foi "muito positiva". "Estamos cada vez evoluindo mais em ver novas maneiras para financiar o investimento, tanto com poupança local, como estrangeira."

ALTAMIRO SILVA JUNIOR E DANIELA MILANESE, Estadão Conteúdo

18 Abril 2015 | 19h41

Levy disse que os investidores estrangeiros entenderam o novo papel do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que será parceiro do mercado de capitais. "Isso significa uma possibilidade de ampliação de fonte (de recursos). A infraestrutura no Brasil é ganha-ganha", afirmou o ministro. "O BNDES vai ter um papel em que o mercado vai conseguir completar, não faz tudo sozinho."

"O setor privado vai começar a se mexer quando ver que todas as votações no Congresso (sobre o ajuste fiscal) estão completadas, vendo que (o governo) não só tem apoio, mas que a primeira etapa foi concluída", afirmou Levy.

Sobre a meta de superávit, Levy afirmou que uma vez que o governo consiga que o Congresso vote as medidas que já estão lá, as coisas ficam mais fáceis. "Isso nos facilita. Quanto mais rápido você demonstra a conclusão das medidas, mais rápido as pessoas tomam as decisões", ressaltou.

Um dos temas que Levy discutiu com o secretário de Tesouro dos Estados Unidos, Jacob Lew, foi a visita da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos, em 30 de junho. Segundo o ministro, todo o governo dos Estados Unidos tem expectativa muito positiva em relação à visita. "Vai ser uma oportunidade para estreitar laços econômicos, estar em contato com empresas e setores que têm relacionamento com o Brasil."

Mais conteúdo sobre:
FMILevyinfraestruturaBNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.