Jorge Beristain, do Deutsche, vence Ranking AE-Ibmec

O analista do Deutsche Bank Jorge Beristain foi o primeiro colocado no Ranking AE/Ibmec do segundo trimestre de 2002. As recomendações de investimento no mercado de ações do especialista proporcionaram um retorno de 19,97% entre abril e junho. No mesmo período, o Índice Bovespa teve perda de 15,96%.O Ranking AE/Ibmec é divulgado trimestralmente pela Agência Estado. Único no País, o levantamento é coordenado pelo pelo professor Antonio Zoratto Sanvicente, do Ibmec Educional. A pesquisa classifica os analistas que cobrem as ações brasileiras, de acordo com a rentabilidade do conjunto das recomendações realizadas no período. No segundo trimestre, o ranking acompanhou 104 analistas nacionais e internacionais. As informações são extraídas de uma base de dados criada pela Agência Estado, alimentada pelas próprias corretoras.Jorge Beristain é formado em Administração pela Universidade de Alberta, no Canadá. O analista trabalha no Deutsche, em Nova York, desde agosto de 2000. Antes disso, atuou em outras instituições, incluindo o ABN-Amro. Também foi consultor de papel e celulose e engenharia ambiental no México e no próprio Canadá.Ele acompanha os setores de papel e celulose, mineração e também alguns conglomerados. A principal recomendação atual são as ações da Aracruz. Segundo o especialista, a companhia expandiu sua capacidade de produção, realizando investimentos que devem começar a trazer retorno no próximo ano. Além disso, ele disse que a empresa se beneficia de uma estrutura de custos que é favorecida com o câmbio desvalorizado, pois é grande exportadora. O analista afirmou que o bom desempenho das três companhias que avalia no Brasil, Companhia Vale do Rio Doce, Votorantim Celulose e Papel e Aracruz, não surpreendeu.Ele acredita que, além de olhar o lado defensivo dos papéis, os investidores deveriam focar também no retorno que os investimentos em expansão feitos pelas empresas devem trazer futuramente.Clique aqui para ver o hot site sobre o Ranking AE-Ibmec

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.