Jornais argentinos repercurtem a tensão entre Bolívia e Brasil

Os jornais argentinos repercutem nesta sexta-feira com amplo destaque o aprofundamento da crise entre a Bolívia e o Brasil. O Ámbito Financiero publicou o assunto em página dupla, onde relata as duras declarações de Evo Morales contra a Petrobrás e a "indignação" do presidente Luis Inácio Lula da Silva. Ámbito também mostra as contradições entre as declarações de Morales e de seus ministros e funcionários.Sobre a indenização da Petrobras, o ministro de Planejamento, Carlos Villegas, admitiu que "está em estudo" o pagamento com gás. No mesmo sentido, Ámbito destaca que Jorge Alvarado, titular da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), reiterou na quinta-feira seus conceitos do dia anterior e remarcou que o decidido não é confisco porque se vai pagar o preço das ações. Seria confisco se os tirarmos e não pagamos absolutamente nada".O Infobae também colocou Morales em destaque com suas acusações contra a Petrobras. "Na cidade de Mozart, Evo Morales não tremeu o pulso. Tampouco quebrou a voz quando tomou a palavra... Sem nenhum sinal de nervosismo em seu rosto, dirigiu um dado envenenado ao Brasil". O jornal foi o único a ponderar que a acusação de "contrabandistas" "parece ter sido destinada à Repsol YPF, cujo titular na Bolívia, o espanhol Julio Gavito, renunciou por uma causa de suposto contrabando de petróleo". Mas Infobae marcou que a acusação de "não respeitar as regras e evadir impostos" foi enfocada "sobre a brasileira Petrobras".O El Cronista chamou a atenção para a não indenização à Petrobras e para "a investigação sobre a situação de 250 terrenos próximos à fronteira entre a Bolívia e o Brasil, que teriam sido adquiridos ilegalmente por cidadãos brasileiros".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.