finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Jornal oficial chinês rejeita apelos por mudanças no iuan

As pressões dos Estados Unidos por uma valorização da moeda chinesa equivalem a Washington abdicar de sua responsabilidade por deficits crescentes e impediria uma recuperação econômica global, afirmou um jornal oficial chinês nesta sexta-feira.

REUTERS

20 de novembro de 2009 | 11h58

O comentário na edição internacional do People's Daily é o último lance em uma discussão sobre o iuan, que para a administração Obama é mantido artificialmente baixo para dar uma vantagem aos exportadores chineses, o que distorce a economia global.

A rejeição direta desses argumentos vinda do Partido Comunista chinês é o sinal mais recente de que Pequim não tem nenhuma intenção de ceder a pressões externas.

O governo, ao contrário, joga a culpa pelas dores do dólar no colo de Washington.

"Aliás, insistir repetidamente na questão da apreciação do iuan é uma tentativa de desviar a atenção e esquivar-se da responsabilidade, e de fazer outros países, incluindo a China, pagar a conta pelos gigantes deficits comercial e fiscal dos Estados Unidos", argumentou o artigo do jornal, escrito pelo economista Shi Jianxun, da Universidade Tongji em Shangai.

Apesar de o comentário não refletir diretamente a opinião do governo, sua publicação na mídia oficial, que é fortemente controlada, sugere que a opinião da elite permanece hostil à apreciação do iene.

(Reportagem de Chris Buckley)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROIUANSEMMUDANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.