Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

José Luis Oreiro, professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

DILMA

O Estado de S. Paulo

16 de abril de 2016 | 23h59

‘Câmbio deve se desvalorizar’

“Se a Dilma permanecer, deve ocorrer uma desvalorização do câmbio nas próximas semanas. Haverá um aumento das expectativas de inflação, o que vai abortar o processo de redução dos juros. Isso levaria a uma piora da confiança tanto da indústria como dos consumidores. Se ela continuar no cargo, vai ser por causa do apoio dos movimentos sociais e da esquerda. Nesse caso, existem duas alternativas. A primeira é continuar com o Nelson Barbosa. Seria a opção mais sensata. Ele tem um plano de ajuste estrutural das contas públicas. A outra possibilidade seria uma guinada para a esquerda e não faço a menor ideia de quem eles poderiam colocar no Ministério da Fazenda.”

TEMER

‘O ponto é qual modelo seguir’

“Tudo vai depender de como um governo Temer pode fazer a composição da equipe econômica caso ele assuma a Presidência. Existe hoje no Brasil uma disputa entre os liberais e os neodesenvolvimentistas. Entre esses grupos não há uma divergência com relação à necessidade do ajuste fiscal. O ponto que se coloca é qual o modelo de desenvolvimento que seguiríamos a partir daí. Os neodesenvolvimentistas apostam na reindustrialização da economia brasileira. É preciso colocar as bases para a reindustrialização, o que exige uma política macroeconômica que viabilize uma combinação de juros mais baixos e câmbio mais desvalorizado.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.