Jovem desempregado é maioria entre devedores

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto de Economia Gastão Vidigal da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) durante o mês de setembro, a maior parte dos devedores na capital é constituída por pessoas jovens. Os dados foram levantados com inadimplentes que procuraram o balcão de atendimento do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) da entidade. Dos entrevistados, 42% disseram ter no máximo 30 anos. O desemprego é o grande vilão da inadimplência. 47% dos entrevistados não estão empregados.A pesquisa indica que, dos inadimplentes entrevistados, 82% têm até 40 anos. Segundo o presidente da ACSP, Alencar Burti, isso acontece porque a população nessa faixa etária é mais dependente do crédito por estar ainda em fase de consolidação da vida profissional e doméstica. O estudo também registrou que o desemprego é o principal fator que leva o consumidor à inadimplência. Segundo a pesquisa, o desemprego é apontado por 47% dos entrevistados como a principal causa da inadimplência, seguido por descontrole do gasto (15%), e ter sido fiador ou avalista (14%). O levantamento também indicou que 51% dos pesquisados continua sem emprego e, dos que estão empregados, apenas metade tem carteira de trabalho assinada.Caem os prazos de financiamentoDe acordo com a ACSP, o prazo médio dos financiamentos diminuiu em relação às pesquisas anteriores, com 41% dos créditos com prazos de até 4 meses, e 22% entre 5 e 7 meses. O crediário ou cartão de loja responde por 56% dos financiamentos, o cartão de crédito por 23% e o cheque por 21%. O comércio é o maior credor (53%), sendo que os produtos mais comprados que originaram os débitos foram roupas e calçados (26%), seguido da compra de móveis (18%) e eletrodomésticos (16%). Quase a metade dos entrevistados tem renda familiar entre R$ 200,00 e R$ 700,00 (49%), segundo a pesquisa, e 43% dos entrevistados têm renda entre R$ 701,00 e R$ 2 mil. Perguntados se pretendiam realizar compras a prazo até o final do ano, 44% dos entrevistados afirmaram que sim, enquanto 28% disseram ainda não saber e 28% que não pretendiam fazer compras a prazo. Dos produtos que serão procurados para as compras os entrevistados relacionaram roupas e calçados (25%), eletrodomésticos (22%) e móveis (16%), indica a pesquisa. Veja nos links abaixo as maneiras que o consumidor tem para retirar seu nome da lista de devedores e os cuidados e recomendações com os cheques sem fundos e endividamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.