Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Jovens bilionários são os que mais enriquecem nos EUA, diz pesquisa

Levantamento mostra que os salários anuais dos que nasceram depois de 1965 são em média de US$ 677 mil, contra US$ 198 mil da geração dos ‘baby-boomers’

Carlo Cauti, especial para O Estado de S.Paulo,

16 de setembro de 2013 | 16h43

NOVA YORK - Os bilionários das gerações X e Y enriquecem mais rapidamente do que os da geração baby-boomer (os nascidos no pós-2ª Guerra). Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pela corretora norte-americana Fidelity publicada nesta segunda-feira, 16, mesmo dia em que foi divulgado a lista das 400 pessoas mais ricas dos Estados Unidos elaborado pela revista Forbes.

Segundo a pesquisa da Fidelity, os salários anuais das pessoas que nasceram depois de 1965 são em média de US$ 677 mil, contra US$ 198 mil dos que têm mais de 48 anos. Da mesma forma, o patrimônio médio seria de US$ 5,7 bilhões contra US$ 5,2 bilhões.

"Eu acho que o jogo mudou. Assistimos a uma criação de riqueza mais significativa da que em gerações anteriores", disse Brian Dombkowski, diretor da consultoria de investimentos Sand Hill Global Advisors, de Palo Alto, Califórnia.

As 400 pessoas mais ricas dos EUA indicadas pela Forbes têm uma idade média de 66 anos. Somente 32 deles tinham até 48 anos de idade, fazendo parte dessa forma das chamadas gerações X e Y. Todos os outros fazem parte da geração do "baby-boom".

Muitos dos bilionários mais jovens são pessoas que criaram suas fortunas na indústria da tecnologia. Entre eles estão Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, que ocupa o 20º lugar, Larry Page e Sergey Brin, do Google (respectivamente as 13ª e 14ª posições), Michael Dell, da fabricantes de computadores Dell, número 25 da lista, Elon Musk, da Tesla Motors, que ocupa a 61ª posição e Jerry Yang do Yahoo, em 327°.

Segundo a Forbes, a riqueza total dos 400 bilionários cresceu 19% no ano passado, passando de US$ 1,7 trilhão para US$ 2,02 trilhões, com um patrimônio médio por pessoa de US$ 5 bilhões, em relação aos US$ 4,2 bilhões de 2012. Para aparecer na lista é necessário possuir um patrimônio de ao menos US$ 1,3 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
forbesbilionarios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.