bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Jovens designers reinventam a joalheria

Brasileira Ana Khouri, que lançou primeira coleção em 2002, é um dos destaques

Caroline Tell, The New York Times/O Estado de S.Paulo

28 de março de 2014 | 02h10

Já não se trata mais apenas de Tiffany, Cartier ou Harry Winston. Hoje algumas das mais cobiçadas joias são produzidas por uma nova geração de jovens joalheiros que estão mudando radicalmente a velha arte. Pergunte aos compradores das grandes butiques que lotam suas prateleiras com marcas menos conhecidas.

Com as tendências das passarelas e das ruas em mente, esses novos nomes vêm atraindo as mulheres mais jovens que querem acessórios novos para seus guarda-roupas modernos. O fato de muitas das peças serem desenhadas também por mulheres jovens não surpreende muito.

"Essas garotas sabem exatamente o que ocorre no mundo da moda", disse Tomoko Ogura, diretor de moda na Barney' s, que dedicou um grande espaço na loja para joalheiras independentes, como Irene Neuwirth, Jennifer Fisher e Gaia Repossi. "Assim, o produto final está ligado ao que sucede no resto dos nossos departamentos e ao que nossas clientes vêm comprando. Elas querem uma bela joia que tem de combinar com o que estão vestindo."

Essas consumidoras estão atentas ao Instagram em busca de inspiração, compram online e não têm medo de assumir riscos com designers pouco conhecidos. "Nossa clientela deixou de associar joia com sobriedade", diz Sasha Sarokin, que faz as compras para a Net-a-Porter, loja de luxo online que vende joias de jovens designers. "As peças que nos atraíram como compradoras são as únicas que podemos usar diariamente."

O tapete vermelho não é exceção. Estee Stanley, estilista de Los Angeles, faz questão de usar peças de joalheiros independentes quando veste estrelas como Jessica Biel, Portia de Rossi ou Lea Michele. "As mulheres no tapete vermelho querem parecer um pouco provocadoras e estilosas, e é isso que orienta suas escolhas, do vestido às joias", disse Estee. "Essas meninas estão totalmente ligadas online, nos snapchats e usam joias menores, mais estilosas, de marcas menos famosas. Elas querem estar diferentes umas da outras."  

Uma das jovens designers que estão chamando a atenção é a brasileira Ana Khouri, de 33 anos. Ela estudou design de joias em Londres antes de lançar sua linha em 2002. Suas primeiras peças tinham por base a filosofia segundo a qual uma joia deve ser parte de uma mulher e um complemento natural, com anéis e pulseiras que parecem folhas de ouro espalhadas e brincos em forma de aranha com curvas longas e finas.

Hoje, Ana é mais conhecida pelas tiaras opulentas usadas por celebridades como Alicia Keys e modelos como Isabeli Fontana. "Não tem a ver com anel ou brinco e sim com uma fusão do formato do corpo com o formato da joia", disse ela.

(Tradução de Terezinha Martino)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.