JP Morgan indica carteira de ações para 2002

O banco de investimentos JP Morgan escolheu as ações das companhias Petrobrás, Votorantim Celulose e Papel (VCP), Gerdau, Vale do Rio Doce, Tele Celular Sul, Telemar, Itaú e Cemig como as principais apostas para este ano no mercado brasileiro. A carteira de ações foi montada de forma a se beneficiar tanto em um cenário interno positivo como negativo, segundo o chefe de análise para o Brasil, Pedro Martins. Ele explica ainda, em relatório da instituição, que as eleições presidenciais dificultam as previsões para este ano, pois podem influenciar os mercados. Na avaliação de Martins, a carteira sugerida pode mostrar um resultado melhor do que o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) -, mesmo numa situação de deterioração dos indicadores domésticos, na qual o real sofreria nova desvalorização. Nesse caso, o bom desempenho dos investimentos seria puxado pelo comportamento de companhias que podem ganhar com a alta do dólar. Entre as escolhas, Petrobrás, VCP, Vale e Gerdau são empresas que têm suas receitas atreladas à moeda americana e oferecem essa possibilidade. Por outro lado, argumenta Martins, se as perspectivas indicarem uma valorização da moeda nacional, crescimento econômico e inflação em queda, a carteira seria conduzida pelas ações de telecomunicações e energia. Esses setores concentram a liquidez do Ibovespa e, por isso, refletem diretamente o humor dos investidores com o mercado nacional. Dessa forma, se o cenário for favorável, as companhias de telefonia e energia elétrica podem se destacar, pois a Bolsa tende a atrair investimentos e ter performance positiva. Petrobrás é ação defensivaSobre a Petrobrás, o chefe de análise do JP Morgan no Brasil comenta que a estatal representa uma posição bastante defensiva por ser uma forte geradora de caixa. Além disso, destaca que as margens de ganho da empresa se beneficiam com um dólar alto, pois sua receita sobe junto com a moeda americana. O preço-alvo estimado para o final deste ano para os recibos de ações da Petrobrás negociados na Bolsa de Nova York, de US$ 40,00, indicam um potencial de alta de cerca de 95%. Gerdau é única siderúrgica recomendadaOutra empresa citada entre os destaque é a Gerdau, a única recomendação de compra do JP Morgan entre as siderúrgicas brasileiras. Pela avaliação do banco, as ações da companhia oferecem um preço interessante para aquisição. Além disso, Martins ressalta que as usinas da Gerdau nos Estados Unidos protegem a companhia da instabilidade econômica interna. Os cálculos da instituição indicam uma oportunidade de ganho de 28,45%, com um preço-alvo de US$ 13,00 para os recibos negociados em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.