JP Morgan lança novos fundos

A JPMorganFleming Asset Management colocou no mercado novos produtos classificados como fundos de hedge puros. A vice-presidente responsável pela distribuição de fundos da instituição, Renata Kotscho, explica que o objetivo dessas carteiras é proporcionar aos cotistas um retorno absoluto. Ou seja, "sem a estratégia de acompanhar um índice específico para a rentabilidade, como IGP-M ou Ibovespa, a gestão da carteira será feita com o objetivo de proporcionar um resultado sempre positivo". Os fundos lançados são o Alpha Equities e o Alpha Macro, ambos com aplicação mínima de R$ 50 mil e taxa de administração de 1,5% ao ano. As carteiras também cobram taxa de performance de 20% sobre o rendimento que exceder a variação do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Para os gestores do Alpha Equities, o objetivo da administração da carteira é superar o retorno do CDI por meio de uma operação estruturada. Nesse tipo de operação, o gestor do fundo compra uma carteira de ações no mercado à vista conjugada com uma operação de aluguel de papéis que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa. Na operação de aluguel de papéis, o detentor das ações, no caso o administrador do fundo, recebe uma taxa de juros. Já o investidor que alugou a ação paga essa taxa e o seu ganho está vinculado ao desempenho da ação, que ele recebe negociando o papel no mercado. No vencimento do contrato, o investidor recompra as ações no mercado e as devolve ao proprietário, independentemente do valor do papel. "Em uma ponta a carteira terá o resultado da carteira de ações. Na outra recebe o aluguel dos papéis do Ibovespa. O resultado final é a diferença entre o desempenho dessa carteira em relação ao comportamento do Índice mais uma taxa de juros pela locação das ações. Com isso, se a carteira de ações selecionada tem um desempenho melhor do que o Ibovespa, o fundo ganha dinheiro, independentemente de o Ibovespa cair ou subir neste período", explica Renata Kotscho. A vice-presidente destaca que nessa carteira não há a possibilidade de alavancagem, pois não estão previstas operações no mercado futuro.Já o Alpha Macro tem uma gestão com o objetivo de superar o rendimento do CDI a partir de uma carteira de ativos, composta por ações, dólar, títulos públicos pós-fixados e prefixados e títulos da dívida externa brasileira. Segundo Renata Kotscho, a composição será balanceada para apresentar o mesmo risco e com uma expectativa de retorno superior a uma carteira passiva composta por 90% de CDI e 10% de Ibovespa. "O fundo ganha dinheiro quando esta carteira de ativos tem uma rentabilidade superior à carteira passiva", informa a vice-presidente da instituição. Ela explica também que, em ambas as carteiras, as regras do fundo não permitem qualquer tipo de alavancagem de ativos. Ou seja, não são permitidas operações com derivativos em que o patrimônio do fundo é dado como garantia. Veja mais informações sobre fundos de investimento na cartilha sobre Fundos nos links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.