JP Morgan lançou um "eu avisei", afirma ex-diretor do BC

Para o economista do Ibmec e ex-diretor do Banco Central, Carlos Thadeu de Freitas, a decisão do JP Morgan, de rebaixar os títulos da dívida brasileira (veja mais informações no link abaixo), já está contando com o rebaixamento dos títulos da dívida de países emergentes, como Brasil, devido à forte expectativa de alta de juros nos Estados Unidos. "O que eles querem é se eximir da responsabilidade, e lançar um ´eu avisei´ ao mercado", afirmou.Segundo ele, não procede a afirmação, também lançada pelo comunicado do banco, de que o Brasil poderia deteriorar sua qualidade de resultados fiscais. "Nossa capacidade de pagamento é muito boa", afirmou.Ele acrescentou que a mudança de recomendação do banco, bem como o aumento do risco País ? taxa que mede a confiança dos investidores estrangeiros na capacidade de pagamento da dívida do país ?, devido à decisão do JP Morgan, não atrapalhará a captação externa deste ano. "Para 2004, nossa captação externa já está praticamente contratada", afirmou.Freitas observou, porém, que se o Brasil não fosse tão dependente do fluxo de capital estrangeiro, avaliações como esta do JP Morgan teriam menos impacto. Embora elogiando a capacidade brasileira de cumprir a meta fiscal para este ano, o economista fez uma ressalva: o crescimento econômico, cujos indicadores não estão apresentando a melhora esperada. "O que não está demonstrando uma reação forte mesmo é o crescimento econômico do País. Isso é preocupante, mas apenas a médio prazo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.