JP Morgan quintuplica oferta pelo Bear Stearns

Após críticas de acionistas, banco eleva proposta a US$ 1,19 bi e anima bolsa em NY.

Da BBC Brasil, BBC

24 de março de 2008 | 14h50

O banco de investimentos americano JP Morgan Chase aumentou de U$ 236 milhões para US$ 1,19 bilhão o valor da oferta de compra que havia feito ao concorrente Bear Stearns há 15 dias.Em vez de US$ 2, o banco passou a oferecer US$ 10 por ação, em meio a críticas de acionistas do Bear Stearns que consideraram a proposta inicial muito baixa.Apesar de cinco vezes maior, a oferta pelo Bear Stearns ainda representa uma fração do valor pelo qual o banco era avaliado no ano passado, antes de passar por uma crise de confiança.O Bear Stearns foi uma das vítimas da crise no setor imobiliário americano, que dificultou a tomada de empréstimos para bancos que tinham grande exposição às chamadas dívidas podres.BolsaO anúncio da nova oferta provocou um impacto positivo na Bolsa de Nova York. Por volta das 14h25 (horário de Brasília), o índice Dow Jones registrava alta de 1,99%, e o Nasdaq subia 3,35%.As ações do Bear Stearns, que tinham despencado em meio à crise, passaram a ser negociadas pelo dobro do preço, e as ações do próprio JP Morgan Chase se valorizaram em mais de 2%.Os conselhos de diretores dos dois bancos aprovaram o acordo com a oferta melhorada, segundo uma nota conjunta divulgada logo após a abertura dos mercados financeiros.Em um comunicado à parte, o Federal Reserve (banco central americano) anunciou que vai reduzir de US$ 30 bilhões para US$ 29 bilhões a sua participação na operação de compra.Como parte das medidas do governo americano para tentar diminuir os problemas causados pela crise das hipotecas e afastar a ameaça de uma recessão, o BC americano ofereceu financiamento para a compra do Bear Stearns.O JP Morgan disse aceitar a mudança nas garantias do Fed e se comprometeu a entrar com US$ 1 bilhão para financiar eventuais perdas do banco.Os problemas do Bear Stearns se agravaram na semana passada, quando outros bancos se recusaram a emprestar dinheiro por causa dos temores de que a instituição tinha muitas dívidas podres.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.