JP Morgan recomenda ao investidor menor exposição às commodities

Fracasso dos EUA em chegar a um acordo para reduzir déficit altera a perspectiva para os riscos, diz banco

Filipe Domingues, da Agência Estado,

23 de novembro de 2011 | 18h02

NOVA YORK - O banco de investimentos norte-americano JP Morgan afirmou que neste momento investidores devem reduzir sua exposição a commodities, já que "os metais industriais e as softs estão se deteriorando rapidamente", enquanto "falhas políticas nos Estados Unidos e na Europa obscureceram o cenário para seis meses, forçando-nos a rebaixar as commodities".

O banco avalia que o fracasso do supercomitê do Congresso dos Estados Unidos em chegar a um acordo para reduzir o déficit do governo altera a perspectiva para os riscos. "A implicação primária é o dano à confiança na seriedade de propósito dos Estados Unidos e no custo de tal atitude. Os mercados precisam precificar o risco de mais cortes em ratings de crédito", comentou.

O JP Morgan acrescentou que, desde que a agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixou o rating da dívida soberana dos Estados Unidos, no início de agosto, houve um aumento de US$ 455 bilhões no endividamento, mais do que o total da Grécia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
jp morganinvestidorcommodities

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.