JP Morgan traz pessimismo sobre consumo nos EUA

Os resultados do quarto trimestre do ano passado do banco norte-americano JP Morgan podem ter vindo melhor do que o de seu concorrente Citigroup, mas não fornecem nenhuma razão para afastar o pessimismo que envolve o consumidor norte-americano. O banco mais do que dobrou suas provisões contra perdas com crédito, para US$ 2,5 bilhões, de US$ 1,1 bilhão um ano antes. Em relação ao terceiro trimestre houve crescimento de 42%, quando o banco destinou US$ 1,8 bilhão às provisões.O crescimento nas provisões para cobrir possíveis perdas no crédito ao consumidor "está em grande medida relacionado ao valor líquido de residências, cartão de crédito e empréstimos hipotecários de alto risco (subprime)", segundo o banco. O JP Morgan destacou que os empréstimos subprime tiveram desempenho pior do que o esperado.O lucro líquido resultante de empréstimos para o setor veículos caiu 25%, por causa do salto nas provisões para cobrir calotes. Por volta das 10h38 (de Brasília), as ações do JP Morgan estavam em alta de 1,48%, em US$ 39,75, no pré-mercado em Nova York. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.