JPMorgan compra Bear Stearns por US$ 2 por ação

O banco JPMorgan Chase anunciou ontem à noite a compra do Bear Stearns, o quinto maior banco de investimento dos Estados Unidos, ameaçado pela crise de hipotecas de alto risco. O JPMorgan vai desembolsar apenas US$ 2 por ação do Bear Stearns. O negócio está avaliado em US$ 236,2 milhões. Na sexta-feira, o Bear Stearns reconheceu que a sua liquidez se deteriorou. As ações do banco fecharam a semana cotadas a US$ 30,85, com queda de 46%.O Federal Reserve (Fed, banco central americano), deu aval à estrutura financeira do negócio e aprovou um fundo de US$ 30 bilhões para cobrir os ativos com menor liquidez do Bear Stearns. O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, disse ontem que estava satisfeito com o acordo para compra do Bear Stearns pelo JPMorgan Chase. Ele defendeu a decisão do Fed de conceder financiamento ao banco de investimento Bear Stearns para ajudá-lo a superar seus problemas de liquidez e evitar que entre em uma crise ainda maior do que a atual.Perguntado se outros bancos e empresas poderiam estar em uma situação similar à da Bear Stearns, Paulson disse que as instituições financeiras "são muito fortes". Os comentários do secretário do Tesouro americano ocorrem em um momento no qual um crescente número de economistas acredita que a grave crise creditícia empurrou os Estados Unidos para sua primeira recessão desde 2001. Com informações de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.