Juiz afasta possibilidade de decretação de falência da Varig

O juiz que acompanha o processo de reestruturação da Varig, Luiz Roberto Ayoub, afastou a possibilidade de decretação de falência da empresa. "Não serei irresponsável em pôr fim a uma empresa que ainda se mostra viável", disse em entrevista coletiva na tarde de hoje. Segundo ele, os administradores judiciais da Deloitte e a consultoria Alvarez & Marsal, contratada pelos credores para reestruturar a Varig, indicam que a empresa tem viabilidade. De acordo com ele, a Varig é uma empresa que tem um "potencial enorme". Não fosse por isso, não haveria investidores potenciais querendo investir na empresa. Ayoub disse que não pode permitir a divulgação de "notícias distorcidas". Referindo-se ao noticiário, disse que "marcaram até data (para a Varig parar), só esqueceram de me avisar". O juiz comentou que, até o momento, não entrou nenhum pedido na Vara Empresarial requerendo dilatação do prazo para o pagamento de combustíveis da BR Distribuidora. Solução existe Outro sinal de que a crise da Varig caminha para uma solução foi dada hoje pelo presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi. Ele saiu de uma reunião no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, com os juízes que acompanham a recuperação judicial da empresa, sem fazer comentários significativos sobre a situação da companhia aérea. Contudo, ele disse acreditar que a empresa tem uma saída. "Acredito sim, já tenho declarado, acho que tem alternativa. E o mais importante disso, a Varig continua operando com segurança. O usuário pode usar a Varig com segurança". Zuanazzi informou que não houve nenhum problema com a empresa no feriadão.

Agencia Estado,

17 Abril 2006 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.