Juiz Ayoub poderá manter leilão da Varig amanhã

Após a recusa dos credores às mudanças no plano de recuperação da Varig, a decisão sobre o destino da empresa ficou novamente nas mãos do juiz da 8ª. Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayoub. Segundo fonte ligadas ao processo de recuperação da companhia aérea, o juiz poderá anunciar ainda hoje que manterá o leilão da Varig para amanhã.Ayoub teria entendido que mais de 90% dos grandes credores da Varig, em volume financeiro, aprovaram as mudanças no plano de recuperação judicial da Varig, o que permitiria levar a leilão a proposta de US$ 500 milhões da VarigLog. De acordo com a fonte, Ayoub considerou essa informação mais importante do que o fato da desaprovação pelo número individual de credores.Durante a manhã desta terça-feira, advogados da Variglog e da Varig reuniram-se com o juiz Ayoub. A VarigLog informou que iria recorrer à Justiça para tentar impugnar os votos da GE Capital na assembléia de credores de ontem. A empresa de leasing foi a principal responsável pelo fato de as mudanças no plano de recuperação da companhia aérea não terem sido aprovadas - o que poderia impedir o leilão de amanhã. Segundo a Assessoria de Imprensa da VarigLog, a empresa continuará fazendo depósitos na Varig para bancar as despesas correntes da companhia aérea. Até o momento, já foram liberados US$ 14 milhões.Falência seria interessante para GECom a recusa, a possibilidade de falência da Varig ficou mais forte. Ontem, o presidente da aérea, Marcelo Bottini também acusou a GE de ser responsável pelo resultado da assembléia de credores. O executivo revelou que a GE usou uma manobra para multiplicar seus votos e, além disso, vendeu sem notificação prévia seus créditos para a JP Morgan.Fontes do setor contam que o administrador judicial da Varig, a consultoria Deloitte, já teria indicado que o caminho para a Varig é a falência, caso o novo plano de venda fosse rechaçado. Segundo um representante das empresas de leasing, o veto teria sido a opção dessas companhias porque na falência eles receberiam mais cedo que no cronograma previsto pelo novo modelo de venda da Varig.Oferta da VarigLogPela oferta da VarigLog, a nova Varig, que seria leiloada, voaria inicialmente com 13 aviões (da frota atual de 61 aeronaves) e até 2 mil funcionários, o que custará a demissão de em torno de 8 mil funcionários.A empresa que seria leiloada ficaria com as marcas Varig e Rio Sul, além de todos os horários de vôo (hotrans) e permissões de pouso e decolagem (slots) dessas companhias. Toda a operação comercial, que inclui vendas de passagens em balcões, ficaria com a nova Varig. O programa de milhagem Smiles, com 6 milhões de usuários e R$ 70 milhões de passivo, o que inclui passagens já emitidas e que não foram usadas, também faz parte do pacote.Condições do leilão Eventuais investidores que quiserem participar do leilão amanhã terão de depositar US$ 24 milhões, que é o valor do empréstimo que a VarigLog tem feito para custear a operação da ex-controladora (US$ 20 milhões) até a data da venda mais multa de 20%. Além disso, o potencial investidor tem de apresentar uma carta de fiança bancária de US$ 75 milhões. Esse valor corresponde à primeira parcela do aporte total de US$ 485 milhões previsto pela ex-subsidiária e terá de ser depositado no prazo de 48 horas após a homologação da compra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.