Juiz de Nova York prorroga prazo contra embargo de aviões

O juiz do Tribunal de Falências do Distrito Sul de Nova York (EUA), Robert Drain, estendeu para 13 de janeiro de 2006 a liminar que impede as empresas de leasing de arrestar (embargar) aviões da Varig. Haverá uma nova audiência, no dia 12 de janeiro, também em Nova York. "Eu estou solidário em relação às empresas de arrendamento; não obstante as objeções delas à prorrogação da liminar, eu a prorrogarei até o dia 13 de janeiro, sob novas condições, além das impostas na última audiência", afirmou Drain.Além do pagamento de US$ 5 milhões feito hoje pela Varig às empresas de arrendamento, com dinheiro de fluxo de caixa, o juiz determinou que a companhia faça até o dia 28 de dezembro um novo pagamento, de US$ 5 milhões, também proveniente de fluxo de caixa. Outra exigência de Drain é que a Varig destine uma fatia de três quartos dos recebíveis de US$ 8,3 milhões (apropriados indevidamente pela GECAS) para as empresas de arrendamento e o restante, para manutenção de seus aviões.O juiz determinou que a Varig faça o pagamento 2 dias úteis após a GECAS liberar o dinheiro, que está depositado em conta do JP Morgan. Ele também declarou que a Varig pague três quartos da quantia de recebíveis de cartão de crédito - cujo valor é estimado pelo juiz em US$ 15 milhões - para as empresas de leasing, e o restante ficará para manutenção. O pagamento deverá ser feito até 13 de janeiro próximo.Presidente da Varig comemora decisãoO presidente executivo da Varig, Marcelo Bottini, comemorou a decisão do juiz Robert Drain. "O juiz Robert Drain sempre foi muito equilibrado ao tratar do assunto, pois sabe que plano de recuperação é algo complexo. A lei brasileira dá prazo de seis meses, enquanto nos Estados Unidos o chapter 11 (lei de concordata americana) tem prazo muito maior", afirmou Bottini.Segundo ele, o fundamental é que a empresa tem um plano aprovado pelos credores. "Agora começa a parte mais importante, que é trazer investidores", firmou Bottini. A audiência de hoje começou às 10h30 e se prolongou até as 14h (hora de Nova York).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.