Juiz rejeita parcialmente denúncias contra ex-dono da Boi Gordo

O juiz da 1ª Vara Cível da Capital, Paulo Furtado de Oliveira, rejeitou parcialmente, nesta terça-feira, a denúncia oferecida pela Promotoria de Justiça de Falências contra o ex-proprietário das Fazendas Reunidas Boi Gordo, Paulo Roberto de Andrade. O juiz rejeitou da denúncia com relação ao crime de falsidade ideológica, aceitando apenas com relação aos crimes contra os credores - com pena de um a cinco anos - e contra a economia popular - entre 2 a 10 anos de prisão. O promotor autor da denúncia, Alberto Camiña, recorrerá ao Tribunal de Justiça, pleiteando o acolhimento integral da acusação. O juiz marcou interrogatório de Paulo Roberto de Andrade para o próximo dia 27. Após isso, serão ouvidas as testemunhas de acusação e de defesa. Denúncias As denúncias apontam que Andrade, entre 1998 e 2000, teria dado um golpe de R$ 1,5 bilhão contra 33 mil investidores no mercado do boi gordo. Ele ainda foi condenado por captar, sem autorização Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e desviar o dinheiro para paraísos fiscais. Para manter em erro os aplicadores, segundo denúncias, ele falsificava todos os balanços da Boi Gordo, o que fez com que a empresa tivesse falência decretada no dia 2 de abril de 2004. O empresário responde ao processo em liberdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.