finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Julgamento de recurso especial de Cacciola é suspenso

Decisão da relatora do STJ ocorreu após a defesa do advogado do ex-banqueiro, atualmente preso em Mônaco

Milton F.da Rocha Filho, da Agência Estado, Agencia Estado

07 de novembro de 2007 | 08h40

A desembargadora Jane Silva, relatora do recurso especial em que o ex-controlador do Banco Marka, Salvatore Cacciola, pediu a anulação da sentença que condenou o ex-banqueiro a quatro anos e seis meses de prisão, suspendeu o julgamento do processo. A decisão da relatora ocorreu após a defesa oral do advogado de Cacciola. Ainda não há data definida para a conclusão do julgamento pelos ministros da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).Segundo a denúncia, Salvatore Cacciola, que está preso em Mônaco, foi condenado por emprestar, em 1991, Cr$ 16 milhões (valor da época) do Banco Marka ao amigo João Simões Affonso. O empréstimo foi pago ao próprio Cacciola e a parentes dele, como a esposa, o pai e os filhos. Esse tipo de transferência é vedada e punida, com reclusão de dois a seis anos e multa, pelo artigo 17 da Lei número 7.492/86, que define os crimes contra o sistema financeiro nacional.No recurso especial, a defesa de Cacciola alega que os embargos apresentados não foram devidamente apreciados, que a atenuante de confissão foi desconsiderada, que houve exagero na fixação da pena acima do mínimo legal, inversão ilegal do ônus da prova e incorreta valoração das provas presentes nos autos.O advogado disse ainda que há falta de justa causa para a ação penal, pois a denúncia foi realizada somente na representação do Banco Central, sem qualquer produção de provas por parte do Ministério Público Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.