finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Julho registra deflação pelo IGP-M

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de julho registrou queda de 0,34% contra deflação de 0,44% no mês passado, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). É a terceira deflação consecutiva, visto que em maio o IGP-M foi de -0,22%. O índice acumula 1,41% no ano. O período de coleta de preços foi do dia 21 de junho a 20 de julho. O Índice de Preços por Atacado (IPA), que representa 60% do IGP-M, teve deflação de 0,65% em julho, contra queda de 1% em junho. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem participação de 30% no IGP-M, subiu 0,12% contra aumento de 0,05% em junho. O Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), que representa 10% do IGP-M, subiu 0,65% contra alta de 2,2% em junho.A deflação de julho no atacado foi puxada pela queda nos preços dos produtos agrícolas, de 1,19%. Já os preços dos produtos industriais recuaram 0,48% no atacado. As altas de preços mais expressivas no atacado foram em óleos combustíveis (6,42%); querosene (6%) e suínos (5,79%). Já as mais significativas quedas de preços no atacado foram em café (-10,17%); ferro gusa para fundição (-9,81%) e cana-de-açúcar (-4,04%).Já dos sete grupos que compõem os preços ao consumidor, cinco subiram em relação a julho. É o caso de habitação (de 0,35% para 0,70%); saúde e cuidados pessoais (de 0,31% para 0,36%); educação, leitura e recreação (de 0,14% para 0,25%); transportes (queda de 0,07% para alta de 0,14%) e despesas diversas (de 0,11% para 0,15%). Os outros dois grupos apresentaram desaceleração de preços, como alimentação (de -0,57% para -0,67%) e vestuário (alta de 1,19% para queda de 0,05%).Por produtos, as altas de preço mais expressivas no varejo foram registradas em tarifa de telefone residencial - assinatura e pulsos (2,84%); mamão papaya ( 12,78%); e plano e seguro saúde (0,93%). Já as mais maiores quedas foram observadas em batata-inglesa (-24%); leite tipo longa vida (-3%); e cenoura (-9,04%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.