Juncker, da UE, alerta contra diferenças em economias do bloco

O presidente do Eurogroup, Jean-Claude Juncker, alertou neste sábado em entrevista a um jornal alemão contra o aumento das diferenças entre as economias da zona do euro.

REUTERS

13 de fevereiro de 2010 | 12h50

"Temos que ter cuidado para que as divergências não se tornem ainda maiores. Um bloco que adota uma moeda única não pode existir por muito tempo se as diferenças nas contas correntes das economias se tornarem muito grandes", disse ele ao Sueddeutsche Zeitung, acrescentando que não acredita que a zona do euro acabará.

"O governo grego tem que entender que é seu trabalho reequilibrar o déficit, mas se Atenas fizer tudo que pode, os europeus ficarão a postos para ajudar.

Porém, ele preferiu não dizer exatamente como a União Europeia (UE) pode ajudar a Grécia.

"Hoje não posso nomear um instrumento exato... Temos muitos instrumentos prontos e os utilizaremos se necessário", afirmou ele.

Os líderes europeus tentaram ajudar a Grécia com palavras de apoio num encontro na quinta-feira, mas não deram nenhum passo específico, o que elevou os juros pagos pelo governo grego na venda de títulos, enquanto o euro recuou ante o dólar.

Juncker também disse que não acredita que o Pacto de Crescimento e Estabilidade da UE precisa ser reformado para tratar uma possível falência de um Estado.

"A base do Tratado de Maastricht é que a falência de um Estado não entre em questão. Se tivermos de pensar que um membro da zona do euro pode decretar falência, teremos que criar instrumentos para resolver isso. Isso não é considerado", acrescentou Juncker.

(Por Madeline Chambers)

Tudo o que sabemos sobre:
MACRO, UE, JUNCKER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.