Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Juro ao consumidor permanece inalterado, aponta Procon

Apesar da continuidade de queda da taxa básica de juro da economia, iniciada no segundo semestre do ano passado, o juro ao consumidor permanece praticamente inalterado. A primeira pesquisa mensal de juros bancários do Procon-SP em 2006 divulgada hoje revelou que a taxa média de janeiro no empréstimo pessoal foi de 5,42% ao mês (88,42% ao ano), um decréscimo de 0,02 ponto porcentual sobre dezembro de 2005 (5,44%). Já a taxa média do cheque especial permaneceu inalterada, pelo terceiro mês consecutivo, em 8,31% ao mês (160,54% ao ano).No empréstimo pessoal, a maior taxa é praticada pelo Itaú, com juro mensal de 5,95%. A menor taxa é da Nossa Caixa, 4,25% ao mês. No levantamento dos juros do cheque especial, a maior taxa foi cobrada pelos bancos Banespa, Itaú e Santander, de 8,50% ao mês, e a menor taxa verificada foi a da Caixa Econômica Federal, com 7,95% ao mês.Em janeiro de 2006, dois bancos registraram queda nos juros para empréstimos para pessoa física em relação ao mês de dezembro. A Caixa Econômica Federal reduziu seus juros de 5,24% para 5,05% ao mês (diminuição de 0,19 ponto porcentual e variação negativa de 3,63%). A taxa do HSBC teve uma queda de 4,99% para 4,97% ao mês (diminuição de 0,02 ponto porcentual e variação negativa de 0,40%). As demais instituições mantiveram suas taxas inalteradas.A pesquisa foi realizada no dia 3 de janeiro com dez instituições financeiras - HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2006 | 12h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.