Juro bancário à pessoa física é o menor desde 94

O chefe-adjunto do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), Luiz Malan, disse nesta quarta-feira que a taxa média de juros de 54,3% ao ano do empréstimos bancários às pessoas físicas é a menor desde o início da série histórica em julho de 1994. Nas operações de crédito pessoal, a taxa, de acordo com Malan, também atingiu o menor nível da série histórica ao chegar a 59,8% ao ano em julho.Nos empréstimos para a compra de veículos, a taxa média de 32,6% ao ano, segundo o chefe-adjunto do Depec, é a menor desde o início desta série, em junho de 2000.SpreadLuiz Malan disse que o spread (diferencial de taxas de captação e aplicação de recursos) dos empréstimos feitos pelos bancos às pessoas físicas atingiu em julho seu menor patamar desde o início da série histórica em julho de 1994.Pelos dados divulgados pelo Depec, o spread destas operações recuou no mês passado em relação a junho de 40,6 para 39,7 pontos porcentuais. Para Malan, ainda há espaço para novas quedas do spread destes empréstimos nos próximos meses. Ele lembrou que a eventual adoção de um cadastro positivo dos tomadores de crédito ajudará a provocar reduções adicionais desta taxa.O próprio processo de redução da taxa Selic, segundo o chefe-adjunto do Depec, também tem contribuído para a queda do spread nos últimos meses.InadimplênciaDe acordo com Malan, a taxa de inadimplência de 4,8% dos empréstimos bancários é "absolutamente normal". Ele lembrou que os bancos brasileiros trabalham atualmente com um nível "extremamente adequado" de provisão para os empréstimos em atraso. "O sistema financeiro é extremamente sólido", afirmou. Em julho, a taxa de inadimplência subiu de 4,6% para 4,8%, porcentual ainda inferior aos 4,9% de maio último.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.