Juro cairá quando não houver risco inflacionário, diz Levy

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, disse acreditar de que o BC reduzirá a taxa Selic quando tiver certeza de que não haverá risco inflacionário. Ele se negou a qualquer outra avaliação sobre sinais contrários ou favoráveis à manutenção da taxa na reunião do próximo dia 18. Na palestra que fez no seminário "Estruturação de um Projeto de PPP", Levy citou a relação dívida-PIB como ainda um fator de risco do ponto de vista do investidor. Segundo ele, esta é uma razão fundamental para que seja mantido o superávit primário forte. Mais tarde, na entrevista que concedeu a jornalistas, o secretário disse que o ajuste fiscal é peça fundamental para uma política monetária mais confortável. Ao ser indagado sobre a preocupação das agências de risco com a dívida interna do País, ele disse que o governo quer acelerar o processo que permita a redução desta relação (dívida-PIB), mas que isso será feito dentro da estratégia já adotada. Ele reconheceu que há um dilema entre querer fazer o País crescer sem que isso vire uma "festa fiscal". Sobre as críticas que vem recebendo de alguns setores do governo Lula sobre seu comportamento à frente do Tesouro, Levy respondeu com uma única frase: "essa discussão é acessória".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.