Juro de empresas não pára de subir

A turbulência internacional e o noticiário interno têm prejudicado empresários brasileiros. Conforme dados do Banco Central (BC), o juro dos empréstimos para pessoas jurídicas vem subindo desde agosto e a alta se acelerou nas últimas semanas. Para especialistas, isso é conseqüência da crise imobiliária nos Estados Unidos e de possíveis mudanças na economia brasileira, que poderiam provocar um afrouxamento fiscal. Nas operações para pessoas físicas, porém, a taxa de juro continua em queda.Levantamento preliminar do BC revela que o juro médio cobrado das empresas ficou em 23,6% ao ano em novembro, ante 23,4% em outubro. A alta é observada desde agosto, mês em que a crise imobiliária se acentuou nos EUA. Nesse período, a taxa média acumula elevação de 0,6 ponto porcentual.Economistas ouvidos pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo avaliam que a alta está diretamente ligada à evolução dos juros futuros. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.