Juro de financiamento imobiliário pode subir

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Emílio Carazzai, admitiu que a retomada do crédito imobiliário com recursos próprios para classe média pode embutir a elevação dos juros praticados. "Na atual situação, é mais provável um cenário com juros altos", disse. Carazzai declarou que a instituição possui R$ 22 bilhões de liquidez imediata, uma das mais elevadas do mundo. "Nosso problema não é de liquidez, é de preço", afirmou.Para resolver a questão, seriam necessárias, segundo o presidente da Caixa, ações nas duas pontas do processo. Do lado da captação dos recursos, os juros deveriam baixar. "As taxas, mesmo nominais, precisam cair para que se possa operar o crédito imobiliário de modo eficiente", disse. Para o executivo, o patamar deveria descer a, pelo menos, 12% ao ano. Carazzai afirmou que, para o tomador final, seria necessário elevar os juros. "A taxa deveria ficar entre a Selic e a remuneração da poupança", avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.