USP Imagens
USP Imagens

Taxa de juros do cheque especial é a maior desde 1994

Taxa da modalidade cresceu quase 8 pontos porcentuais e atingiu 308,7% ao ano, segundo o Banco Central

Bernardo Caram, O Estado de S. Paulo

25 de maio de 2016 | 11h02

A taxa de juros do cheque especial subiu para 308,7% ao ano em abril, o maior valor desde 1994, segundo dados do Banco Central. O dado representa um avanço de quase 8 pontos porcentuais em relação à taxa de março deste ano. 

O juro do cheque especial só não é maior do que o do rotativo do cartão de crédito, que é a taxa mais alta entre todas as avaliadas pelo BC. Atingiu a marca de 448,6% ao ano em abril ante 449,4% de março, uma ligeira redução de 0,8 pontos porcentuais na margem.

Já a taxa média de juros no crédito livre subiu de 51% ao ano em março para 52% ao ano em abri. Em abril de 2015, essa taxa estava em 41,8% ao ano. Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre passou de 69,2% ao ano para 70,8% ao ano, de março para abril, enquanto a para pessoa jurídica permaneceu estável em 31,1% no mesmo período.

Para o crédito pessoal, aumentou de 53% ao ano para 54% ao ano.

Para veículos, os juros caíram de 27% ao ano para 26,8% ao ano de março para abril. Em abril de 2015, estava em 24,6%. Em 12 meses, a taxa apresenta alta de 2,2 pp e, no quadrimestre, de 0,8 pp.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui também as operações direcionadas, acelerou de 32,0% ao ano em março para 32,4% ao ano em abril. No quarto mês de 2015 estava em 26,5%. O juro médio do crédito direcionado passou de 10,9% ao ano para 10,7% ao ano na margem.

Inadimplência. A taxa de inadimplência no crédito livre ficou em 5,7% em abril, ante 5,6% em março. Em abril de 2015, a taxa estava em 4,6%. Para pessoa física, a taxa de inadimplência ficou mantida em 6,2% na comparação mensal. Para as empresas, subiu de 4,9% para 5,1% de um mês para o outro.

A inadimplência do crédito direcionado avançou de 1,5% em março para 1,7% em abril.

O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 3,7% em abril, ante 3,5% em março. Um ano antes, a taxa estava em 3,0%.

No crédito livre para pessoa física, a inadimplência no crédito pessoal passou de 4,3% em março para 4,5% em abril. Em abril de 2015 estava em 3,7%.

No cheque especial, o volume de calotes caiu. Estava em 15,3% em março e atingiu 14,4% em abril.

No caso de aquisição de veículos, o volume de calote caiu de 4,8% em março para 4,5% em abril. No encerramento de 2015, estava em 4,2%. Já no cartão de crédito, avançou de 8,1% para 8,3% de março para abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.