Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Juro do cheque especial sobe para 278% ao ano, o maior em 20 anos

Taxa teve alta de 77 pontos porcentuais apenas em 2015 e só fica atrás do rotativo do cartão de crédito, que cobra 406%

Célia Froufe e Bernardo Caram , O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2015 | 12h39

Atualizado às 16h

Os juros do cheque especial atingiram 278,1% ao ano em outubro, o maior patamar em 20 anos, segundo dados do Banco Central. Ao longo de 2015, as taxas cobradas por uma das linhas mais caras que o consumidor pode acessar - perde apenas para o rotativo do cartão de crédito - aumentaram 77,1 pontos porcentuais. Em dezembro de 2014, o juro médio dessa modalidade estava em 201% ao ano.

Líder no ranking, a taxa do rotativo do cartão de crédito recuou de setembro para outubro, passando de 414,3% ao ano para 406,1% - queda de 8,2 pontos porcentuais.

O chefe adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Fernando Rocha, afirmou nesta sexta-feira que a redução das linhas de crédito consignado (com desconto em folha e taxa bem mais atrativa: 28,1% em outubro) levaram a um aumento do crédito rotativo no mês de outubro. 

A restrição ao consignado foi motivada pela greve dos bancários, que se estendeu por quase todo o mês passado. "Não conseguindo linhas de crédito mais baratas, as pessoas acabaram incorrendo nessas mais caras", explicou.

No crédito livre, por sua vez, a taxa média de juros  subiu de 46,2% ao ano para 47,9%. Com essa alta, a taxa volta a ser a maior da série iniciada em março de 2011. Desde o início do ano, em todos os meses a taxa de juros tem sido recorde e batido a do mês anterior. 

No ano até o mês passado, a taxa subiu 10,6 pontos porcentuais, já que em dezembro de 2014 estava em 37,3%. Em 12 meses até outubro, a alta é de 10,1 pontos. Para Rocha, o nível recorde dos juros em outubro - patamar que vem avançando desde o início do ano - é um movimento que está consistente com o ciclo de política monetária. Desde abril de 2013, o BC vem elevando a taxa básica de juros, que chegou a 14,25% ao ano em julho e foi mantida desde então.

Tudo o que sabemos sobre:
créditojuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.