Juro do empréstimo pessoal fica estável, mostra Procon-SP

Os juros cobrados por bancos e financeiras de São Paulo ficaram praticamente inalterados este mês em relação a fevereiro, de acordo com pesquisa do Procon nos dias 2 a 4 de março, com 10 bancos: HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco. Destes bancos, apenas o Itaú elevou os juros do empréstimo pessoal, de 5 57% para 5,67%. No cheque especial, o mesmo ocorreu: nove bancos não alteraram valores e um (novamente o Itaú) elevou a taxa de 8,22% para 8,29%, que assim voltou ao valor de janeiro. No geral, houve um decréscimo de 0,02 ponto porcentual em relação a fevereiro para a taxa média de empréstimo pessoal, que ficou em 5,33% ao mês. A taxa média de cheque especial ficou em 8,04%, com pequena queda de 0,01 ponto porcentual. Os dados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não-preferenciais, num período de 30 dias para o cheque especial. O prazo escolhido para avaliar o empréstimo pessoal foi de 12 meses, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este período. Na avaliação do Procon, a alteração nas taxas médias foi considerada inexpressiva. "O fato pode ser entendido como uma resposta do mercado financeiro à interrupção da série de cortes na taxa básica de juros, iniciada em junho do ano passado. Na reunião de fevereiro, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu manter a Selic em 16,5% ao ano", argumentou a instituição por meio de nota à imprensa.

Agencia Estado,

17 Março 2004 | 17h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.