Juro norte-americano não afeta o Brasil, diz analista

O estrategista do BankBoston, Odair Abate, previu que os juros norte-americanos ainda deverão ter duas elevações de 0,25 ponto até o final do ano. "Havia praticamente consenso no mercado de que haveria uma alta de 0,25 nesta quarta-feira", afirmou Abate ao programa Conta Corrente, da Globo News. Mas essa previsão foi ultrapassada pelos indicadores do mercado de trabalho dos Estados Unidos, que foram mais fortes do que se supunha, levando à previsão de uma nova alta de 0,25 na reunião do dia 14 de dezembro. "Nada que fuja ao controle e às expectativas e nada que altere significativamente o comportamento dos mercados internacionais", ressalvou Abate.Ele opinou que a evolução do chamado risco Brasil depende muito mais da evolução estrutural da economia brasileira e dos avanços que o País vier a fazer em termos de infra-estrutura que sinalize para o mercado que o Brasil está preparado para crescer no longo prazo de maneira consistente. Ele ressalvou que, se o aumento dos juros americanos ocorrer de uma forma gradativa e moderada, os impactos sobre o País não devem ser muito negativos. "Especialmente se os fundamentos da economia brasileira continuarem bons e se o Brasil fizer a lição de casa do que deve ser feito em termos de melhoria da infra-estrutura", frisou o estrategista do BankBoston.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.