Juro nos bancos atinge nível mais alto desde março de 2004

A alta da Selic, a taxa básica de juros da economia, em fevereiro - de 18,25% para 18,75% ao ano - pressionou para cima a taxa média de juros dos empréstimos bancários. De acordo com os dados divulgados hoje pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), as operações de crédito registraram, em média, um aumento de 0,7 ponto porcentual em fevereiro. Com isso, o custo destas operações passou dos 46,8% de janeiro para 47,5% ao ano no mês passado.Os juros dos empréstimos às pessoas físicas subiram, segundo o BC, dos 63,4% de janeiro para 64%, maior porcentual desde março do ano passado. Nas operações com empresas, a taxa de juros aumentou 0,2 ponto porcentual e passou dos 32,2% de janeiro para 32,4% ao ano em fevereiro último.A alta veio acompanhada de uma elevação do spread - diferencial entre as taxas de captação de recursos de terceiros e de aplicação em operações de crédito) - dos 28,5 pontos porcentuais de janeiro para 28,8 pontos porcentuais.Inadimplência atinge nível mais alto desde setembroA taxa de inadimplência dos empréstimos bancários com recursos livres de direcionamento permaneceu estável em 7,3% no mês passado. Apesar da estabilidade, o porcentual é o maior já registrado pelo BC desde os 7,5% de setembro do ano passado.O prazo médio destas operações de crédito também não se modificou e prosseguiu nos mesmos 234 dias de janeiro. Nos empréstimos às pessoas físicas, este prazo continuou em 294 dias. O prazo das operações com empresas também não se alterou e permaneceu em 190 dias.Volume de créditoOs dados mostram ainda que as operações de crédito do sistema financeira tiveram, em fevereiro, uma expansão de 1,4%. Com a alta, o estoque das operações de crédito passou dos R$ 491,652 bilhões de janeiro (26,5% do PIB) para R$ 498,305 bilhões (26,7% do PIB). O crescimento do crédito no primeiro bimestre do ano ficou em 2,7%.A maior taxa de crescimento, segundo o chefe do Depec, Altamir Lopes, foi a dos empréstimos às pessoas físicas, que tiveram aumento de 2,1% no período. As operações de crédito contratadas por pessoas jurídicas, por sua vez, apresentaram aumento de 0,8%. A elevação ocorreu a despeito do encarecimento do crédito verificado no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.