Juro para empréstimo pessoal é o maior em 5 anos, diz Procon

Taxa média em outubro está em 6,04% ao mês; trajetória de elevação vem sendo registrada desde janeiro

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

13 de outubro de 2008 | 18h08

A taxa média de juros para empréstimos à pessoa física em outubro está em 6,04% ao mês, o que representa um aumento de 0,28 ponto porcentual em relação a setembro, quando correspondia a 5,76% ao mês. A taxa média de outubro é a maior desde junho de 2003, quando chegou a 6,22% ao mês. De acordo com a pesquisa mensal de taxa de juros para pessoa física da Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP), a trajetória de elevação vem sendo registrada desde janeiro.   Veja também: Mantega diz que Brasil agiu rápido para proteger bancos pequenos Não sabemos onde o dólar vai parar, admite Mantega Dólar segue otimismo com plano europeu e afunda quase 8% Em meio à crise, empresas têm que pagar US$ 15 bi ao exterior Europa vai garantir dívidas bancárias por até 5 anos Reino Unido vai resgatar seus 4 maiores bancos, diz jornal Como o mundo reage à crise  Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira      De acordo com o Procon, elevaram suas taxas em relação a setembro os bancos Real, Safra, Itaú e Banco do Brasil. Cinco das instituições financeiras pesquisadas mantiveram suas taxas e verificou-se queda no porcentual cobrado pelo Bradesco. A menor taxa é oferecida pela Caixa Econômica Federal (4,49%) e a mais alta é a do Real (7,95%).   Já a taxa média de juros bancários para o cheque especial caiu para 8,96% ao mês em outubro. A taxa para a modalidade vinha apresentando comportamento de alta desde o início do ano. Este mês, o decréscimo foi de 0,06 ponto porcentual em comparação com setembro, quando era de 9,02% ao mês.   Segundo o levantamento, a menor taxa de cheque especial é da Caixa Econômica Federal (7,98% ao mês), enquanto a mais alta é a do Safra (11,79% ao mês). As reduções na taxa em outubro, na comparação com o mês anterior, foram aplicadas por Bradesco e Safra, enquanto HSBC, Itaú e Banco do Brasil elevaram o juros para a modalidade. A taxa das demais instituições foi mantida.   A pesquisa de juros para pessoa física do Procon-SP considerou as taxas do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco no dia 3 de outubro. Para o levantamento, foi estipulado o período contratual de 12 meses. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais. Para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.